Odontopediatria

 

 

QUANDO COMEÇAR:

A higiene oral das crianças deve começar logo nos primeiros dias de vida. As gengivas do bebé devem ser limpas com um pouco de gaze humedecida, removendo os restos de alimentos. Após o nascimento dos primeiros dentes, começa então a higiene oral propriamente dita. Até aos 12 meses de idade, pode ser a mãe a limpar os dentes novos com uma compressa húmida.

A partir dos 12 meses, a criança pode ter a sua própria escova. Das primeiras vezes, é preferível não usar dentífrico. Após essa fase inicial, coloca-se uma pequena quantidade de pasta dentífrica própria para crianças na escova, para começar a criar habituação ao sabor. A partir dos 2 anos, já é recomendável a escovagem 2 vezes por dia.

Até aos 6 anos, convém supervisionar a escovagem e verificar se a criança não engole o dentífrico. Fazer da escovagem dos dentes uma brincadeira pode ajudar a tornar este acto em algo de agradável. Pode, por exemplo, deixar que o seu filho lave os seus dentes, deixá-lo escovar os dentes do seu boneco preferido ou dizer coisas engraçadas, ao mesmo tempo que faz caras divertidas.

Tudo isto reforça o lado mais lúdico do acto de lavar os dentes. A partir dos 4 anos, é conveniente que a criança comece a usar fio dentário, inicialmente com a ajuda dos pais, até conseguir fazê-lo sozinha (o que acontece por volta dos 8 anos).

 

A IDA AO MÉDICO DENTÁRIO:

A primeira consulta no dentista deverá acontecer cedo, para que a criança se habitue ao ambiente e não venha mais tarde a criar medos infundados. Por outro lado, uma visita precoce (até aos 2 anos) é uma boa forma de detectar hábitos nocivos e possíveis problemas.

 

A ALIMENTAÇÃO E A HIGIENE ORAL DAS CRIANÇAS:

Nas crianças, uma boa dieta alimentar é muito importante para o crescimento e a formação de ossos e dentes fortes, que são uma garantia de resistência às cáries. A alimentação na infância deve ser variada e não exagerar nos doces, tão comuns nesta fase da vida. Outro erro comum é deixar as crianças fazerem um pequeno lanche antes de ir para a cama, sem depois lavarem os dentes. Este hábito tão nocivo potencia o aparecimento de cáries na infância.

Além das vitaminas e minerais essenciais, a alimentação das crianças deve ser rica em cálcio (leite e derivados são uma boa fonte, mas os legumes de folha verde são também muito ricos em cálcio), fósforo (presente na carne de porco e frango, no peixe, nos ovos e no leite.) e flúor. Este último, é geralmente fornecido pelas pastas dentífricas em doses suficientes. No entanto, para crianças com elevado risco de cáries dentárias, pode ser necessário reforçar as doses de flúor através de comprimidos. Aconselhe-se com o seu dentista se achar que o seu filho pode precisar.

 

Outros tratamentos