fbpx

 

 

             

 

 

Implantes Dentários

 

Os implantes dentários são substitutos para raízes dentárias perdidas, na forma de parafusos. São inseridos no interior do osso da maxila ou mandíbula com o intuito de apoiar futuras próteses dentárias. A Implantodontia é uma das mais novas especialidades da odontologia e vem sofrendo grandes evoluções graças às pesquisas científicas de modo que sua utilização, atualmente, é plenamente segura.

A revolução na Implantodontia se fez com o desenvolvimento dos chamados implantes osteointegrados. Esses implantes são concebidos em titânio de alta pureza que quando inseridos no interior do osso através de uma cirurgia pouco traumática “fundemse” ao tecido ósseo.

Após o período de cicatrização dos implantes é possível construir, sobre eles, próteses para restabelecer a estética e função dos dentes perdidos ou ausentes.

 

AVALIAÇÃO

Para que altos índices de sucesso sejam obtidos faz-se necessária a avaliação cuidadosa do paciente através de exames clínicos, laboratoriais e radiográficos os quais estabelecem a possibilidade da realização dos implantes. Os implantes criaram novas perspectivas para vários casos onde a solução limitava-se á confecção de próteses removíveis ou próteses fixas por meio de desgaste de dentes íntegros. Outras condições de difícil solução eram os dentes naturais perdidos por traumatismos (acidentes) e as ausências dentárias congênitas (por exemplo pacientes que não possuíam os incisivos laterais superiores).

As principais utilizações dos implantes são:

– Substituição de raízes dentárias perdidas por cárie ou doença periodontal.

– Reposição de dentes perdidos por trauma (impactos acidentais).

– Em substituição às prótese removíveis.

– Para dar fixação e estabilidade às Próteses Totais ou Dentaduras (Overdenture)

Em Ortodontia para ancoragem e tracionamento de dentes em áreas posteriores

 

ARCADA DENTÁRIA SUPERIOR

 

 

Esta fotografia mostra uma arcada dentária superior onde os dentes e os tecidos gengivais estão perfeitamente normais. Nesta arcada existem dentes e um implante. É possível ao profissional identificar ambos. Contudo, uma reconstrução como essa, onde o osso foi regenerado, após a extração de um dente, pois sua raiz estava perfurada é um sucesso para o paciente, nos aspectos estéticos, funcionais ou mesmo psicológico. Acreditamos ser um sucesso da integração entre as várias especialidades presente na Medicina Dentária.

Implante de dentes é um campo da odontologia que envolve a reconstrução de dentes perdidos e suas estruturas de suporte com materiais autógenos ou aloplásticos. Implantar refere-se à transferência de um material para dentro de um sistema biológico.

Os implantes dentários é o termo usado atualmente para descrever a ancoragem de materiais aloplásticos nos tecidos de suporte, maxila e mandíbula, para fixarem próteses dentárias, restabelecendo dentes que foram perdidos. O objetivo de nossa clínica é manter esta integração  para benefício dos nossos pacientes.

 

HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DOS IMPLANTES

 

 

No início dos anos 60, P.I. Branemark e colaboradores na University of Goteborg iniciaram o desenvolvimento de um novo implante que, para a função clínica, dependia de uma ancoragem direta no osso – denominada osseointegração.

O fenômeno da osseointegração certamente não foi aceito na época. Experimentos em animais feitos no laboratório de Branemark indicaram claramente que a ancoragem direta do implante ao tecido ósseo seria possível desde que algumas condições definidas fossem seguidas (Branemark e cols. 1969). Isto foi documentado no primeiro artigo clínico que foi publicado poucos anos depois (Branemark e cols. 1977). 0 primeiro pesquisador a demonstrar claramente a osseointegração foi A. Schroeder, da Suíça.

Albrektsson e cols. (1981) apresentaram informações sobre uma série de fatores importantes que devem ser controlados para se alcançar a osseointegração do implante 

Os principais fatores são:

1. Biocompatibilidade, entre o implante e os tecidos vizinhos, principalmente ósseos.

2. Condições da superfície do implante, ela precisa estar perfeita limpa, descontaminada e estéril.

3. O estado do hospedeiro e do local a ser empatado. O paciente preso estar em gozo de boa

saúde, existem algumas doenças que dificultam a osseointegração. A boca do paciente não pode

apresentar áreas comprometidas por processos infiamatórios, como periodontite, abscessos e

outras doenças degenerativas.

4. Técnica cirúrgica utilizada para instalação do implante, este é um dos aspectos mais

importantes a ser considerado.

5. Condições das cargas aplicadas sobre os implantes após a sua instalação.

 

EXISTEM VÁRIOS TIPOS DE IMPLANTES

 

 

 

Os implantes dentais são confeccionados com precisão em titânio, e colocados no osso alveolar para substituir as raízes dos dentes, depois, coroas são proteticamente confeccionadas e colocadas nos implantes para substituir os dentes ausentes. Os dentes perdidos por qualquer motivo podem ser substituídos por implantes.

Esse procedimento é totalmente indolor e deve ser feito com todo rigor de biossegurança para que osseointegração ocorra.

 

Outros tratamentos