fbpx

 

 

 

CIRURGIAS BUCOMAXILOFACIAL

 

Alveoloplastia:

Intervenção cirúrgica para dar forma ao rebordo ósseo e prepará-lo para o suporte ósseo.

Apicectomia:

Remoção de uma parte da raiz que apresente lesão que não pode ser curada por tratamento de canal. Em alguns casos é necessário fazer uma obturação do ápice do dente.

Exodontia simples de dente decíduo (de leite) e permanente:

Extração de dentes que erupcionaram normalmente.

Exodontia de dente incluso ou impactado (remoção de dentes retidos):

Dente que se encontra aprisionado no interior do tecido ósseo dos maxilares, e por algum motivo não erupcionou.

Exodontia de dente semi-incluso:

Extração de dente que não erupcionou totalmente e possui alguma parte ainda alojada no tecido ósseo.

Exodontia de Raiz Residual:

Retirada de restos de raízes presas dentro do tecido ósseo ou presos à gengiva.

Frenectomia:

Remoção de inserções musculares que possam estar atrapalhando o posicionamento de dentes ou confecções de próteses só que diretamente relacionadas ao músculo que faz as inserções labiais ou linguais.

Reconstrução do sulco gengivo-vestibular:

Cirurgia realizada para aumentar a altura do bordo ósseo.

 

PROCEDIMENTOS DO PERIODONTISTA

 

 

CIRURGIA E AUMENTO DE COROA CLÍNICA

Raspagem de tártaro supra gengival 

Corresponde à remoção de tártaro das superfícies dentais, que se localizam exclusivamente acima do limite da gengiva. A execução desse procedimento aliada ao métodos preventivos, é o tratamento indicado para a gengivite (na maioria dos casos).

Raspagem de tártaro subgengival

Corresponde a remoção de tártaro que se localiza abaixo da linha da gengiva, geralmente aderido às superfícies da raiz. A remoção do tártaro subgengival de forma adequada, é o tratamento indicado para o tratamento da periodontite. Muitas vezes também será necessário a administração de um antibiótico com uso local ou sistêmico (p. exemplo via oral), quando as bolsas periodontais apresentam infecção e drenagem de pus. Após a remoção do tártaro, o paciente precisará ser  acompanhado, através de consultas de manutenção, quando serão aplicados procedimentos preventivos para evitar a recorrência da doença.

 

SAIBA MAIS…

 

Gengivectomia ou gengivoplastia

A gengivectomia corresponde à redução cirúrgica do volume de gengiva por movidos estéticos e/ou clínicos. É muito comum ocorrer um crescimento de gengiva quando existe uma irritação por cárie, e doença periodontal. A gengivoplastia é um complemento da gengivectomia. Depois da redução do volume gengival, se faz necessário uma adequação da “forma” característica da gengiva, perdida pelo aumento de volume. É uma “plastica” na gengiva.. 

Aumento de coroa clínica

Muitas vezes ocorre a fratura da coroa dental, e é necessário se fazer uma prótese. Entretanto, a borda da fratura 􀁽cou abaixo do nível da crista óssea.    Para se restabelecer a normalidade dos tecidos de suporte (espaço biológico), é necessário uma cirurgia para remoção de parte dessa crista óssea, além da remoção de parte da gengiva. Esse procedimento é chamado aumento de coroa clínica. O objetivo é expor mais a coroa clínica, para uma adequada confecção da prótese.

Imobilização

Quando os dentes já foram atingidos pela periodontite e já perderam suporte ósseo, muitas vezes apresentam mobilidade e necessitam ser imobilizados para melhor reparação dos tecidos de suporte. Essa imobilização ( ou contenção ), normalmente é feita com resina fotopolimerizável, unindo os dentes com mobilidade um um só bloco.

Cirurgia periodontal

Para o tratamento da periodontite, em alguns casos as bolsas periodontais estão muito profundas e não é possível remover totalmente o tártaro com o tratamento convencional ( raspagem). Nesses casos é necessário se fazer um retalho gengival, para ter acesso à raiz do dente, e então realizar a remoção de tártaro de maneira mais completa. Depois da remoção do tártaro, a gengiva é suturada e protegida com cimento cirúrgico.   Após sete dias o cimento é removido e o paciente acompanhado com profilaxias periódicas.

Enxerto gengival

Quando ocorre retração gengival, seja por cura da doença periodontal ou por agressão do uso da escova (faz muita força com a escova), a raiz fica exposta causando com freqüência hiperssensibilidade, e ficando a estética comprometida. Pode-se optar em realizar um enxerto de gengiva, removendo de uma outra parte da boca, como por exemplo, o palato ( céu da boca).

Retalho gengival com enxerto ósseo

Como mais uma opção do tratamento das seqüelas da periodontite, pode-se optar pelo enxerto ósseo. Como se sabe a periodontite tem como conseqüência a perda de suporte ósseo, e isso ocorre uma mobilidade do dente. O enxerto ósseo é uma tentativa de aumentar o suporte ósseo e diminuir a mobilidade dental, procurando prolongar o tempo de permanência do elemento dental na boca. Os materiais mais usados para o enxerto são a hidróxiapatita ou o osso liofilizado.