Aftas/estomatite aftosa recorrente
Maio 22, 2018
A respiraçao bucal
Junho 11, 2018

Halitose

halitose, sorriso saudavel

Algumas origens da Halitose

 

BOCA 

Mais de 90% dos casos de halitose tem origem na língua, provocada pela Saburra ou placa bacteriana lingual, em segundo lugar vem os problemas periodontais (de gengiva) depois vem alimentos em decomposição entre os dentes, próteses dentárias fixas com infiltração ou móveis porosas sem uma correta higiene.

A cárie por sua vez só provoca o mau hálito quando em estágios muito avançados (necrose de polpa, abcessos etc.). Especialistas em halitose alertam: Não removam os seus dentes na esperança de ficarem curados desse problema, nem se submetam a cirurgias como: histerectomia ou amigadalectomia, pois estas atitudes drásticas e irreversíveis não irão solucionar o seu problema.

 

NARIZ E GARGANTA

Infecções na garganta, sinusites, rinites, abcessos, cálculos de amídalas ou câncer de faringe, podem provocar o mau hálito. Alem disso problemas crônicos das vias

respiratórias superiores com ou sem pus geram o gotejamento freqüente de um muco na base da língua que aumenta em muito a quantidade da saburra, provocando o mau hálito.

 

PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS

Pacientes respiradores bucais tendem a ter um ressecamento grande da mucosa da boca gerando excesso de descamação das células dessa mucosa que se

depositam sobre a língua e entram em decomposição aumentando o odor desagradável. Portanto pacientes que não conseguem respirar bem pelo nariz ou não tem uma boa oclusão dos dentes são propensos à halitose.

 

PULMÃO

Nesse caso o que ocorre em geral é que as substâncias voláteis ingeridas nos alimentos do tipo cebola, alho, etc., em medicamentos ou ainda em bebidas alcoólicas vão para o sangue e são eliminadas no momento da troca nos alvéolos de oxigênio por gás carbônico e esse tipo de halitose é passageira.

 

ESTÔMAGO

 Ao contrário do que se acreditava antigamente, o mau hálito não é proveniente do estômago com exceção do caso de eructação gástrica (arroto) ou em casos avançados de câncer. O mau hálito foi por muito tempo associado ao estômago porque quando os portadores deste mau se alimentavam obtinham uma melhora e associavam ao fato de terem colocado alimento no estômago. O que ocorre na verdade é que há uma troca de substâncias em decomposição e produzindo gás localizado nos sacos entre as papilas da língua por resíduos de alimentos novos e que levam no mínimo 20 minutos para iniciar o processo de fermentação e produção de gás novamente. O que pode ocorrer também é que pacientes que se submetem a dietas rigorosas sofrem uma hipoglicemia que provoca uma quebra metabólica de proteínas e gordura, causando o mau hálito e que pode desaparecer com a ingestão de alimentos não aromáticos (uma colher de chá de mel), esse tipo de halitose se observa também em casos de profissionais que por excesso de trabalho fazem um intervalo muito longo entre as refeições.

 

INTESTINO

Quando o bolo alimentar em estado de putrefação devido à ação dos microorganismos demora de ser eliminado (prisão de ventre) o paciente leva os gases através do sangue para o fígado e daí para o pulmão onde é expelido em forma de hálito fétido e é chamado de hálito fecal.

 

DOENÇAS SISTÊMICAS

Insuficiência Hepática, tuberculose, cirrose, insuficiência renal, escorbuto, etc são fatores que podem levar a halitose. 

 

PROBLEMAS PSICOLÓGICOS

Existe uma halitose psicológica onde o paciente afirma ser portador desse problema, mas não o tem de fato, nesse caso é indispensável o uso do Halímetro (aparelho fabricado nos EUA) que mede em ppb (parte por bilhão) a presença do enxofre no hálito.  Existe também o problema psicológico do portador real de halitose que convive com a rejeição por parte da sociedade e que tende a se isolar tornando-se eremitas em casos extremos, por isso todo especialista em halitose deve trabalhar o lado emocional dos pacientes para que possam recuperar a autoconfiança.

 

Este foi um dos pontos mais discutidos na última Conferência de Odores do Hálito realizado em Vancouver no Canadá, promovido pela Associação Internacional de Pesquisas dos Odores do Hálito em agosto do ano passado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *